Blog do Tas

Custo de vida: compartilhe o seu

05 de junho de 2012, 14:05

Escrito por marcelotas

Clique na imagem e dê sua colaboração

 

Recebeu proposta de trabalho em outra cidade e não sabe quanto irá gastar por lá? Para esta e outras dúvidas, foi criado o site Custo de Vida pelo desenvolvedor Lucas Franco, de Belo Horizonte. O projeto já recebeu mais de 9mil colaborações e reúne informações de 1340 cidades. Lá você encontra o custo do litro de leite local até o preço de um aluguel.

No ar desde Dezembro de 2011 o site tem em média 15 mil acessos diários. A cidade mais cara do Brasil nos dias que correm, e como correm, é o Rio de Janeiro e a menos cara Grandes Rios no estado do Paraná. Dentre as capitais, a de menor custo é Boa Vista, Roraima.

Faça o levantamento da sua cidade e compartilhe!

  1. Para comentar sobre custo de vida, é necessário conhecer as condições financeira de cada pessoa,dado a imensa diferença social,o que é barato para um é extremamente caro para outro e como até mesmo as pesquisas do governo, tornam claro que a inflação para o pobre, não é a mesma pára o rico.Quanto ao poder de viver em outro lugar, esta para uma pequena parcela da sociedade, o que é impossivel para muitos, se assim fosse…. ninguem moraria em favelas e veria seus filhos caminhando sobre esgotos a ceu aberto,verdadeiramente é necessario conhecer e entender uma realidade que está presente e qual ignora-se por não víve-la !

  2. Já morei e estudei na Itália e EUA, bem como morei no Rio, em Sampa e Brasilia. Tirando SanFrancisco que apesar de linda é cara, posso afirmar que para viver como classe média alta no Rio paga-se até o triplo para se morar em um bairro equivalente nos lugares citados, ainda que SP e BSB tenham custos iguais em outros quesitos como saúde, comida e educação. Quanto à diversão, sampa é imbatível. De qualquer maneira, morar tanto no RJ como em sampa você tem acesso aos centros culturais com muitas coisas gratuitas ou com preços baixos, sendo que o SESC de sampa é fantástico e o CCBB do rio tb. Se puder escolher, escolha morar e trabalhar em uma cidade média de SP, perto da capital (Sorocaba, por exemplo) e quando estiver cansado da cidade média em que mora passe um sábado ou domingo na capital ou um feriado quando tudo está vazio. Morar atualmente nas capitais do RJ e SP e na cidade de Bsb é pegar transporte público cheio ou trânsito insuportável, além do custo de vida europeu com serviço público de país africano.

  3. Bruno Cantelli da Conceição 6 de junho de 2012 at 16:19

    Sonho no dia em que poderei trabalhar remotamente. Infelizmente, para algumas áreas de TI, não se tem emprego fora da cidade de São Paulo. Até há algumas vagas em capitais de outros Estados, para ganhar menos, evidentemente, mas, que inviabiliza por não poder levar a família toda para lá. Nasci em Mogi das Cruzes-SP, morei até os 19 anos em Suzano(cidade vizinha) e hoje minha casa é em Mogi das Cruzes. Moro na Liberdade(bairro caracterizado pela quantidade de orientais em São Paulo) e atualmente atendo à um cliente na região da Ponte Transamérica. O tempo mínimo que levo entre a Liberdade e meu cliente é de 1 hora, sendo que as sextas-feiras, é comum eu levar mais de 4 horas para me deslocar do cliente até minha residência em Mogi das Cruzes. Fatos como este, de levar mais de 4 horas para percorrer cerca de 75km/h, atrelado ao fato de morar sozinho em São Paulo, me fazem pensar se realmente é possível ter qualidade de vida em São Paulo. Minha conclusão é que não. Somos movidos pelo dinheiro, que não trás felicidade, mas sua ausência trás o contrário. Fico pensando como uma família nos dias de hoje, opta por ter filhos em uma cidade como São Paulo em que casas são vistas como algo indesejável e apartamentos são a preferência de 95% da população. Como criar uma criança, que deve ter todo o direito a brincar de bolinha de gude, esconde-esconde, empinar pipa, taco etc( pelo menos foi esta a infância que tive) em uma cidade como São Paulo? A sociedade limita-se a aceitar a criação de seus filhos enfurnados dentro de um apartamento, tendo seu convívio social limitado as pessoas que morar no mesmo condomínio( quando o tal apartamento tem área de lazer no condomínio e não apenas a portaria). Como mensurar o custo que tenho como estacionamento de minha residência( apartamento que me obriga à parar o carro e um estacionamento particular próximo), o custo de combustível, de ter que acordar mais cedo no dia de rodízio, o custo do estacionamento no local de trabalho, somados ao estresse de ficar enfurnado dentro de um carro uma hora para ir e mais uma hora (quando tudo esta normal, com trânsito médio) voltar para casa? Transporte Público! Simples assim? Usei muito o metrô de São Paulo e o mesmo tinha uma qualidade regular em horários de pico. Neste caso, meu custo estaria bem menor que o de ir de carro ao trabalho, mas, vale a pena? Hoje os trens, metrôs e ônibus estão todos abarrotados de pessoas, que é praticamente impossível conseguir entrar de primeira em um deles ou descer no ponto/estação correto, além das incontáveis baldeações. O que é melhor, carro ou transporte público? Bom, ao menos dentro do meu carro, estou sentado, com o ar condicionado ligado e não exprimido entre outras pessoas, recebendo suor por tabela. Era muito feliz quando acordava às 04:30 a.m, tomava meu banho e tomava meu café, para as 05:30 a.m. entrar no ônibus fretado que passava próximo a minha casa em Mogi das Cruzes, para as 06:00 a.m. trocar de ônibus em um local que chamávamos de baldiação, entrando no ônibus que me levaria até meu destino final em São Paulo. A volta era praticamente a mesma coisa. Era cansativo? Sim! Era. As vezes, chegando em São Paulo, dependendo do cliente que atendia, ainda tinha que utilizar o metrô para chegar até o cliente que atendia naquele dia. Com a restrição dos fretados, ficou impossível chegar no horário aos clientes que atendia e na hora de ir embora, impossível chegar em casa antes das 08 p.m.. Além do que, os trem, ônibus e metrôs ficaram abarrotados de pessoas, que antes utilizavam o fretado como meio de transporte. Com os atendimentos à Zona Sul de São Paulo e a restrição aos fretados, ficou impossível morar em Mogi das Cruzes e tive que dividir um apartamento em São Paulo, com dois amigos. Quando questiono à qualquer pessoa se vale a pena morar em São Paulo, ouço respostas como: “claro que sim! em São Paulo se você quer comer uma comida japonesa ou chinesa ou sair para tomar um chopp às 3 a.m., você pode!”. Ai vem a minha pergunta: “Quantas vezes você já fez isso?” e simpesmente ouço um silêncio ensurdecedor.
    Hoje, passo a semana inteira sozinho em São Paulo, demoro para chegar ao meu trabalho, sinto muito mais cansaço e quando chega sexta-feira, não sei se fico contente por ir ver meus entes queridos ou se fico triste, sabendo da batalha que tenho que enfrentar para chegar em casa. Concluindo, minha opinião, é que NÃO vale a pena morar em São Paulo, mesmo com todos os benefícios de se ter um salário menor! Se tivesse opção para ganhar metade do que ganho para trabalhar remoto ou em minha cidade, aceitaria sem pestanejar e tenho certeza que seria muito mais feliz.

  4. Interessante a iniciativa. Não muito confiável porém de grande ajuda.

  5. Não existe lugar melhor pra se morar do que nas cidades médias do interior de SP.

    Pena que por aqui, os políticos também as vezes esculhambam…

  6. em campinas não tem metrô!!!!!!!

    • Morei 2 anos em campinas e trabalhei em hortândia.
      realmente não tem metrô mas as grandes empresas da região de campinas disponibilizam Fretado que praticamente pegam na porta de casa.
      Quanto a locomoção morei na região dos Dic’s mais exatamente no Dom Pedro II acesso facilitado ao centro pela Amoreiras, Santos Dummont e 40 minutos de são Paulo.
      transporte público caro, porém atende bem a demanda.
      Ótima cidade para morar e trabalhar. POLO Tecnológico.

  7. Fernando Branco 6 de junho de 2012 at 9:33

    Em 2003 optei por sair de Sao Paulo em busca de qualidade de vida para minha familia. Mudamos para Ribeirao Preto/SP. Consegui agregar a isso uma redução consideravel no custo de vida. Quando falamos em custo de vida, existem valores mensuraveis como o litro de leite, o aluguel, o valor do metro quadrado construído. Mas existem outros benefícios que não podem ser medidos, como o tempo economizado no transito, o não-desgaste do carro, o não-stress causado pela tensão de ficar uma hora parado dentro do carro. A sensação de poder chegar em casa e ainda ter tempo de jantar com a familia em paz e tranquilo, isso não tem como ser medido nem valorizado.

    • concordo plenamente com vc amigo .! qualidade de vida é tudo! independente o quando vc vai gastar por isso.na minha opinião tudo isso que vc postou, o jantar em familia, e ter tempo para os filhos, não tem preço.! um abraço, 10 pelo seu comentário.

Deixe um Comentário

Aviso aos navegantes: os comentários são parte fundamental de qualquer blog. Eles servem para ampliar, criticar e completar o texto do autor.

No "Blog do Tas", todos os comentários só são publicados DEPOIS de passar por moderação.

NÃO publicamos:

  1. Comentários com palavrões ou agressões gratuitas.
  2. Comentários fora do assunto.
  3. Comentários com auto-propaganda ou propaganda de terceiros.

Se não estiver nas categorias acima, sua opinião será liberada o mais breve possível.

Bem-vindo e obrigado pela participação!

Connect with Facebook

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>