Blog do Tas

Conselhos de um nerd faixa-preta para a presidente Dilma e para o Marco Civil da Internet

07 de novembro de 2013, 11:41

Escrito por marcelotas

Mikko, nerd faixa-preta da Finlândia (Foto: F-Secure)

 

Ao contrário do estereótipo do nerd, Mikko Hypponen não é curvado, tímido ou monossílábico. O finlandês de rabo-de-cavalo, 44 anos, é um excelente comunicador, alto, esguio… Poderia facilmente passar por remador olímpico ou chef de cozinha com programa bem sucedido na TV à cabo.

Mas estamos falando de um nerd-faixa preta. Desde 1991, Mr. Hypponen é o Chief Research Officer da F-Secure, uma das empresas mais importantes de segurança virtual do planeta. Entre outros feitos, foram eles que enfrentaram, deram o nome e quebraram as pernas do temido vírus Storm Worm, que assolou 8% dos computadores do mundo em 2007. Mikko é palestrante frequente no TED e consultor em crimes cibernéticos nos EUA, Europa e Ásia. A PC Maganize o considera uma das 50 pessoas mais importantes da web.

Nesses dias que o Brasil debate o Marco Civil da Internet e a presidente Dilma levanta um debate mundial sobre privacidade, depois dos seus e-mail serem vasculhados pelo governo americano, fiquei com vontade de entrevistar o Mikko para o Blog do Tas. Como conseguir encontrar um cara tão requisitado, protegido por uma muralha de firewalls e anti-spams? Pelo jeito, as ideias mais simples ainda funcionam. Busquei o cara no Twitter e trocamos uma DM (mensagem direta).

Abaixo, o resultado da nossa conversa por e-mail.

..::..

Minha conversa com Mikko por e-mail (Foto: Gabey Goh) 

Blog do Tas A era digital mudou nosso conceito de privacidade? De que jeito?

Mikko Hypponen Vinte anos atrás, ninguém sabia realmente onde nos encontrar. Hoje, podemos ser localizados pelo celular ou cartão de crédito – e até pontualmente por câmera de segurança e scanners de placas de automóveis. Vinte anos atrás, ninguém sabia que reportagens ou colunas estávamos lendo nos jornais. Hoje, os sites de notícias sabem exatamente quem é você, em quais artigos ficou interessado e quanto tempo demorou neles. Esta informação é compartilhada com anunciantes. Vinte  anos atrás, a gente procurava respostas nos livros, enciclopédias e bibliotecas. Hoje, no Google. As máquinas de busca sabem mais dos seus desejos, esperanças e segredos do que a sua mulher.

 

Blog do Tas E-mails da presidente do Brasil foram lidos pelo sistema de inteligência do governo norte-americano. Como Dilma Rousseff pode agora ter certeza que isso não vai acontecer novamente?

Mikko Hypponen Ela pode evitar essa vigilância usando sistemas criptografados instalados em computadores confiáveis. Mesmo assim, isso só vai tornar a tarefa dos violadores mais difícil, não impossível. Entramos agora numa era em que as nações estão entrando com todos os recursos possíveis para obter acesso a informações estratégicas. Se defender de um ataque como esse sofrido pela presidente do Brasil pode ser bem difícil. Usar sistemas de código aberto pode ajudar, mesmo assim não representa uma solução para todo tipo de ataque.

 

Blog do Tas Esta semana, o Brasil está discutindo e votando o Marco Civil da Internet, leis que podem regular a internet no país. Como podemos cuidar de preservar a liberdade de expressão e acesso na rede e ao mesmo tempo a privacidade e segurança dos cidadãos e empresas? Como uma nação e seus indivíduos podem se proteger sem recair em censura ou vigilância paranóica e obsessiva?

Mikko Hypponen Esta é uma questão crucial do nosso futuro. Como manter a Internet livre e ao mesmo tempo segura. Não há resposta fácil. Qualquer que seja, a resposta precisa ser bem transparente. Cidadãos precisam saber o que os seus governos estão fazendo. Governos precisam ser abertos e democráticos sobre qualquer tipo de vigilância que seja necessária para efeito de investigação e punição de seus cidadãos. É importante haver supervisão independente de todo o processo. Os cidadãos precisam ter acesso aos dados e estatísticas claras sobre os benefícios dessa vigilância para que possam entender e decidir se vale a pena ou não.

 

Blog do Tas Mikko, você consegue ver no horizonte que as forças criativas desse planeta possam se juntar para manter a beleza do desenho original da World Wide Web? É possível fazermos isso?

Mikko Hypponen Espero que sim, Marcelo, espero que sim.

 

Palestra: “Combatendo vírus, defendendo a Internet” (Vídeo: TED) 

  1. Ranier Japson Pereira 8 de novembro de 2013 at 20:05

    O assunto é muito importante a ser discutido, principalmente, agora que ganhou notoriedade a partir da espionagem americana com chefes de Estado ao redor do mundo. Fazendo um pouco do papel do “advogado do diabo”, tenho lá minhas dúvidas a respeito desse Marco Civil. Até que ponto o mesmo funcionaria em todos os âmbitos sociais? Digo, Será que ele serviria para coibir a espionagem de outros países, ao mesmo, que ele serviria para que os próprios governos locais e empresas pudessem usar informações do povo para seus próprios interesses?

    Sou completamente à favor da criação de mecanismos que garantam a segurança e privacidade de todos aqueles que usam a rede mundial de computadores, no entanto, é preciso que “solução” (se é que exista alguma) não fique a cargos de governos e outras instituições (como a ONU por exemplo). Em um assunto como este, a representação política deve ser posta de lado em favor do cidadão e, que estes sejam os porta-vozes das suas decisões.

    O lado positivo dessa polêmica é que por se tratar de algo que afeta à todos, ajuda a melhorar a ideia de democracia. Principalmente, uma ideia de democracia cosmopolita, já que de fato, somos cidadãos do mundo.

  2. A SOBERANIA de uma NAÇÃO depende da consciência dos seus executivos e seus cidadãos e das ferramentas e tecnologias que escolherem e que souberem utilizar, para praticarem a eterna vigilância e se defenderem.
    Mikko Hypponen, pesquisador da F-Secure é um dos profissionais mais habilitados para falar sobre este assunto.
    Parabéns, ao Marcelo Tas, pela entrevista!

  3. Fechar as casas das primas de luxo em Brasilia seria uma solução mais eficaz para evitar os escandalos. Primeiro eles vazão por lá e depois, sabe cumé né, vão para a rede.

  4. esse assunto que envolve o mundo todo em violar todo os países, os hackers de bem, boa indole, a favor da disciplina e ordem, e respeito a população humana, deveriam se juntar como nerds e tentar solucionar esse problema… e não como ja noticiado, país contratando hackers para violar outros paises…deveriam usar sua inteligencia a favor do certo e não se juntar a 1 só espião, ou meia duzia. esse é meu sonho. defender e não atacar.

  5. Pingback: A internet sabe mais sobre você do que a sua mulher ….. | Professor Rogerio Barbosa

  6. OS CONVENTOS , OS SEMINÁRIOS , A PARÓQUIA E O VATICANO… A SITUAÇÃO FUGIU DO CONTROLE DA SOCIEDADE.

  7. Excelente entrevista! Sem dúvida, o Marco Civil é uma alternativa para assegurar o devido respeito às leis cibernéticas, assim como para evitar possíveis atos de espionagem contra o Brasil. No entanto, será necessário efetivar a legislação, por meio de instrumentos de defesa informacional – como os equipamentos digitais do Exército -, e com o monitoramento policial das atividades que transcorrem no ambiente virtual.

  8. esta questão de segurança é muito delicada, sendo que qualquer forma de tentar impedir ataques virtuais, como vem sendo discutido no Brasil, serão em vão, pois só irão dificultar a vida do atacante

Deixe um Comentário

Aviso aos navegantes: os comentários são parte fundamental de qualquer blog. Eles servem para ampliar, criticar e completar o texto do autor.

No "Blog do Tas", todos os comentários só são publicados DEPOIS de passar por moderação.

NÃO publicamos:

  1. Comentários com palavrões ou agressões gratuitas.
  2. Comentários fora do assunto.
  3. Comentários com auto-propaganda ou propaganda de terceiros.

Se não estiver nas categorias acima, sua opinião será liberada o mais breve possível.

Bem-vindo e obrigado pela participação!

Connect with Facebook

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>